top of page
sys-site-blog.png

Blog

Vamos falar sobre masturbação feminina?


Fotografia de dois dedos (indicador e do meio) colocados em um pote pequeno de vidro. As mãos são brancas e as unhas estão pintadas de vermelho. Dentro do pote, há um líquido amarelo, semelhante ao mel.
Se masturbar promove o autoconhecimento, o prazer sexual e faz bem para a nossa saúde

Masturbação: uma palavra que, só por sua etimologia, já é polêmica, né? Em alguns lugares você pode encontrar a seguinte definição: do Latim Manustuprationem, de Manus, mão e Stuprare, violentar. Ou seja, “violentar à mão”. E em outros: do Latim Masturbatio, que seria formado por Manus, mão, e Turbare, sacudir, chacoalhar, mexer. De qualquer forma, independente disso, sabemos o quanto esse assunto foi – e ainda é – um tabu. Principalmente quando falamos da masturbação feminina.

A masturbação, contudo, pode ser muito além de proporcionar prazer para si. Para as mulheres, que tiveram e têm sua sexualidade reprimida, se masturbar é um ato de autocuidado, prazer, conhecimento e saúde.

Se interessou pelo tema, sys? Então continue a leitura!



O que é masturbação?

A masturbação, a grosso modo, é a estimulação manual – com auxílio, ou não, de objetos, como vibradores – dos órgãos genitais, com o objetivo de obter prazer sexual podendo chegar, ou não, ao orgasmo. É uma prática sexual que pode ser feita pela própria pessoa ou por uma terceira (sempre com consentimento, senão deixa de ser masturbação e se torna abuso).

A masturbação é comum a todos os indivíduos e em uma larga faixa etária, sys. Ela pode começar no início da puberdade, ou, até mesmo, durante a infância – claro, sem a carga erótica nesta fase. Mesmo sendo uma prática cada dia mais naturalizada pela nossa sociedade e sendo cada vez mais abordada, é um ato que já foi e ainda é socialmente condenável em algumas culturas, embora não cause nenhuma doença ou malefício à saúde.


Benefícios da masturbação feminina

Pensando em um contexto de uma sociedade machista e patriarcal, não é muito difícil pensar e concluir que as mulheres foram e ainda são muito mais julgadas e condenadas quando o assunto é sexualidade. Enquanto os homens (cisgêneros) são estimulados a segurarem seu pênis, sendo visto como um gesto másculo e viril, as mulheres precisam seguir todo um protocolo do que fazer e não fazer, sendo a masturbação altamente proibida e recriminada. Entretanto, o que não é discutido, é a quantidade de benefícios que a masturbação pode trazer para a saúde – independente de estar ligada ou não ao prazer sexual.

O ato de se tocar, se olhar, se sentir, tem a ver com autocuidado e com saúde. Através dele você consegue conhecer seu corpo, entender como ele funciona, as sensações, o que você gosta, como gosta e o que não lhe agrada também. Até porque, é de extrema importância nós sabermos o que não gostamos como forma de segurança à nossa integridade física, psíquica e emocional. Não concorda?


Masturbação feminina e empoderamento

De uns anos pra cá, com o surgimento das redes sociais, notou-se uma maior discussão sobre questões feministas e de empoderamento feminino, que valorizam a vontade e a liberdade de escolha da mulher. Da depilação (ou ausência dela) à liberdade sexual, esses assuntos tomaram conta das redes, nos fazendo repensar diversos costumes e regras sociais, e a masturbação feminina entra nisso também.

Por anos crescemos ouvindo e, consequentemente, aprendendo, que se tocar é algo errado, feio e até mesmo sujo. Porém, a realidade mostra exatamente o contrário, sys! O ato de se masturbar ,é uma prática de autoconhecimento, que preza a saúde e o carinho consigo mesma. É como se fosse tomar um banho, passar uma maquiagem, escutar uma música que você gosta, ler um livro ou seja lá qual for a atividade que te dá prazer e faz com que você se ame e se cuide. Nós, da SYS, trabalhamos para que cada vez mais mulheres vejam a masturbação feminina como autocuidado.

Masturbação é pecado?

Sys, é totalmente compreensível a dificuldade que algumas mulheres sentem ao falar sobre masturbação ou até mesmo tentarem se masturbar. Pode ocorrer um misto de culpa, dúvidas, desconfortos e curiosidades. Isso porque presenciamos uma briga interna de “certo x errado”, uma vez que crescemos ouvindo que se masturbar é “pecado”, que não era coisa de “menina direita”, que devemos sentar direito e com as pernas fechadas.

Quando chegamos à adolescência ou fase adulta, ouvimos que se masturbar é legal e faz bem, o que deixa a nossa mente confusa, afinal, é totalmente diferente do que fomos criadas. Mas saiba que não tem nada de errado em querer explorar a sua sexualidade e seu corpo, ok? Você é a dona dele, portanto, tem todo o direito de conhecê-lo!


Consequências da pornografia

A pornografia mainstream é extremamente falocentrada e apenas preocupada com o prazer masculino (tanto de quem atua quanto de quem assiste), mal tem envolvimento emocional, carícias ou qualquer outro sinal de preliminares. Em compensação, há bastante humilhação e violência.

Em relação a masturbação feminina, o que aprendemos assistindo filmes pornô é que são movimentos bruscos, rápidos, duram segundos e quase sempre rola um squirting. É claro que cada corpo é único e cada mulher sente prazer de uma maneira, porém, o ponto aqui é que, nessa indústria, temos um padrão de prazer. É como se todas nós gostássemos de se masturbar daquela forma e que sempre teremos um squirting. E é exatamente aí que está o problema.

Como se não bastasse sofrermos com a pressão estética (de cabelos, roupas, comportamentos e até genitálias), também precisamos lidar com a sociedade nos dizendo como a masturbação feminina precisa ser feita. Isso, por sua vez, faz com que a mulher que queira se masturbar reproduza o que assistiu na pornografia e, muitas vezes, acabe se frustrando e se culpando por não sentir prazer.

Por isso, propomos que você deixe de lado o que “aprendeu” sobre masturbação feminina nesses tipos de mídia e preste atenção no seu corpo e em como você se sente. Não é uma tarefa fácil, sys, mas é um exercício gratificante e importante para sua saúde física e mental. Tente pensar que a sua genitália é só mais uma parte do seu corpo e, por isso, também precisa ser cuidada. Ao contrário do que podem ter te ensinado, ela é bonita do jeito que é não precisa seguir um padrão estético. Sua genitália pode ser de diferentes tamanhos, cores, jeitos e formatos e isso é lindo!


Como se masturbar?

Por ser algo íntimo, é interessante que você escolha em um local seguro, que se sinta à vontade e possa ficar sozinha. É importante que você não se cobre, ok? Não pense que você precisa sentir “x” ou “y”, apenas esteja atenta ao que for aparecendo e explore tudo com gentileza e curiosidade. Tente pensar que esse momento é seu e pra você! É como se fosse fazer algo especial para alguém, mas no caso o “alguém” é você mesma!

  • Você pode abaixar ou apagar as luzes! Coloque uma música, acenda uma vela ou um incenso – vai da sua escolha. O interessante de utilizar músicas é que você pode se guiar em relação ao tempo das músicas. Por exemplo, durante toda a primeira música você apenas acaricia uma parte do corpo. Depois, quando mudar de música, você passa para outro lugar... Isso te permite fazer tudo com calma.

  • Faça carinho em você! Você pode começar se acariciando, sem focar na região íntima inicialmente. Você pode passar um creme ou algo que goste e ir se acariciando, se massageando… Aqui você pode pensar em regiões como seios, bumbum, coxas, pescoço, barriga ou as regiões que tiver vontade e gostar. Pense que aqui você vai começar a se insinuar e criar um clima para, só depois, se masturbar.

  • Toque na sua região íntima! Depois quando sentir à vontade pode começar a pensar na região íntima, mas sem ir para “os finalmentes”. Passe a mão na região da vulva (ou sua genitália), virilha e coxas. Aos pouquinhos, foque na região mais interna. Curta o momento sem pressa, sys!

  • Explore sua vulva! Chegando finalmente no clitóris (ou sua genitália), procure fazer com calma, descubra o que você sente ou não prazer. Você pode focar na glande do clitóris, mas também é importante lembrar que ele é muito maior que apenas aquele “pontinho” que nós vemos! Aqui é o momento em que cabe a você descobrir como gosta e deixar de lado a masturbação vista na pornografia – mas lembre-se: tudo bem se você sentir prazer fazendo movimentos como os retratados pelo pornô, ok? Use movimentos circulares, vai e vem, batidinhas ou até mesmo esfregar as mãos para que fiquem aquecidas e apenas colocar em cima da vulva para que tenha essa troca de calor. Divirta-se.

  • Lubrificante! O uso de lubrificante é super bem-vindo. Se estiver utilizando algum creme hidratante para massagear o corpo, é interessante você usar um lubrificante à base de água quando for começar a acariciar sua região íntima, para que não tenha irritabilidade ou sensibilidade. Quando estamos lubrificadas, as carícias fluem melhor e não corre o risco de machucar a pele ou criar lesões.


Se masturbar é algo muito único e individual. É muito legal que tenha as trocas de experiências, mas que você procure descobrir o que é prazeroso para você. É interessante prestar atenção aos sinais que seu corpo dá e nas vontades que vão aparecendo durante o processo. Não há posição ou jeito certo ou errado, portanto, se em determinado momento você sentir vontade de se masturbar de ponta cabeça – e se isso não for te machucar ou te colocar em risco –, por que não? Claro que é só um exemplo, porém o importante desse momento é você se respeitar e se sentir bem. Se masturbe, se namore e se ame!


 

Sobre a autora

Fotografia de Marcela. Ela é uma mulher de pele clara, cabelos castanho escuros e cacheados. Seus olhos e sobrancelhas são castanho. Ela veste uma blusa de gola alta preta e um colar prateado. Na foto, ela sorri levemente, com os lábios fechados

Marcela Maretti

Psicóloga e Sexóloga

Saiba mais sobre o trabalho da Marcela em seu Instagram @psi.marcellamaretti


1.312 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page