top of page
sys-site-blog.png

Blog

Você conhece a Síndrome dos Ovários Policísticos?


A Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP) ainda causa uma série de dúvidas em nós, mulheres, seja por causa dos sintomas variados, pelo diagnóstico de exclusão ou mesmo pela mudança de vida necessária após identificar a síndrome. O que significa, afinal, ser diagnosticada com SOP? Síndrome dos Ovários Policísticos é a mesma coisa que ovário policístico? Mulheres com SOP não conseguem engravidar?

Antes de mais nada, se você que está lendo esse texto foi diagnosticada com SOP, saiba que você não está sozinha! Essa é uma síndrome muito comum, sendo a endocrinopatia (grupo de doenças que afetam o sistema endócrino) mais frequente em pessoas com útero em idade reprodutiva. Portanto, não se desespere, ok?



O que é a Síndrome dos Ovários Policísticos?

A Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP) é uma doença multifatorial (envolve tanto causas ambientais quanto genéticas) caracterizada por desequilíbrios hormonais como:

  • ciclos menstruais irregulares;

  • pequenos cistos em ao menos um ovário;

  • aumento nos níveis de andrógenos (hormônios), como a testosterona.

A SOP é a endocrinopatia mais frequente em pessoas com útero e em idade reprodutiva (cerca de 6 a 19% desta população, de acordo com o critério para o diagnóstico), justamente por isso que comentamos no início do texto que ela é muito comum, sys!

Importante dizer que Síndrome dos Ovários Policísticos e ovário policístico não são a mesma coisa! A primeira trata sobre uma síndrome multifatorial que, dentre um dos sintomas está o ovário policístico. A segunda, por sua vez, é sobre o aspecto do seu ovário, uma característica. Não quer dizer que você tem SOP, mas sim, que foram encontrados pequenos cistos em seu ovário (que não são prejudiciais à saúde).

Quem tem Síndrome dos Ovários Policísticos têm mais chances de desenvolver alterações metabólicas como acúmulo de gordura no fígado mesmo sem consumir álcool, apneia de sono, aumento de colesterol e/ou gorduras no sangue, câncer, diabetes tipo 2, distúrbios de humor, obesidade e pré diabetes. Além disso, mulheres com SOP também possuem mais chances de terem abortos espontâneos, diabetes gestacional, infertilidade, pré-eclâmpsia e partos prematuros.

Isso pode soar como assustador para quem lê pela primeira vez, e com toda a razão. Infelizmente, as complicações da SOP ainda não são amplamente discutidas, o que faz com que muitas mulheres acabem não levando essa síndrome a sério e seguindo o tratamento. Lembrando que se o acompanhamento for feito de forma correta e contínua, a mulher com SOP terá uma vida tranquila e saudável, mas para isso é preciso entender como funciona essa síndrome e encontrar profissionais da saúde que ela confie!


Sintomas de Síndrome dos Ovários Policísticos

Muitas pessoas acreditam que o principal sintoma da SOP é a menstruação irregular ou ausência dela. Na verdade, alterações menstruais são apenas um dos sintomas comuns, mas é possível uma pessoa com útero estar com o ciclo menstrual regulado e, mesmo assim, ter essa síndrome. Por isso é tão importante que a gente espalhe mais informações sobre a SOP!

Dentre os principais sintomas da Síndrome dos Ovários Policísticos, temos acne, aumento de pelos no rosto, alterações menstruais, ganho de peso, alopecia e dificuldades para engravidar. Além disso, por mais que resistência à insulina e obesidade não façam parte dos critérios de diagnóstico, também são vistos de forma frequente em quem tem SOP, potencializando, assim, os outros sintomas e possíveis complicações.


Como é feito o diagnóstico?

As causas para a Síndrome dos Ovários Policísticos ainda não são totalmente conhecidas, por isso a medicina trabalha com o que chamamos de diagnóstico de exclusão, ou seja, primeiramente são descartadas outras razões para os sintomas apresentados para, então, diagnosticar a mulher. Gestantes, mulheres com hipersensibilidade aos medicamentos e com outras doenças que também causam ausência de ciclos menstruais, por exemplo, são casos em que não é possível diagnosticar a paciente com SOP, afinal, são inúmeras as possíveis razões para aqueles sintomas.

Dizemos que uma pessoa tem SOP quando são identificados 2 ou mais desses pontos:

  • Ciclos menstruais alterados;

  • Acne, alopecia e pelos faciais e/ou aumento de hormônios androgênicos (como a testosterona);

  • Ao menos um ovário maior que 10cm³ e mais de 12 pequenos cistos em pelo menos um ovário.

Sendo assim, quando existe a suspeita de SOP, geralmente é feita uma investigação no histórico familiar e também são solicitados exames como ultrassom transvaginal (para checar os aspectos de seus ovários) e testes de sangue, para verificar os níveis de açúcares e hormônios no sangue.


Tratamento

A Síndrome dos Ovários Policísticos não tem cura, sys, mas tem tratamento! Em geral, vai depender muito do que as suas médicas lhe sugerirem, mas geralmente se faz necessária uma mudança de estilo de vida. Parar com a ingestão de bebidas alcoólicas e uso de cigarro, fazer atividade física de forma regular e se alimentar de forma saudável.

Quando a mulher possuir outras condições que podem contribuir para o agravamento da síndrome (obesidade, gordura no fígado, diabetes, apneia do sono etc) pode ser orientada, além do que já citamos, o acompanhamento de uma equipe multiprofissional para tratar as suas especificidades.

Quando a mulher apresenta ciclos menstruais irregulares e não deseja engravidar, alguns profissionais recomendam anticoncepcionais hormonais combinados. Entretanto, tudo deve ser conversado e analisado, afinal, em mulheres com condições como hipertensão arterial, diabetes e obesidade severa, o uso desses métodos hormonais pode trazer mais prejuízos do que benefícios à saúde, além de não tratar a causa, mas sim os sintomas.

Sys, se você tem suspeitas de ter a Síndrome dos Ovários Policísticos, procure a sua gineco e solicite os exames que citamos ali em cima. Lembre-se que a SOP tem sim tratamento e que você deve buscá-lo para viver a sua vida da melhor forma possível.

Se cuide!


Referências:

CONITEC. Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Síndrome dos Ovários Policísticos, 2019. Disponível em: <http://conitec.gov.br/images/Consultas/2019/Relatorio_PCDT_SindromeOvariosPolicisticos_CP05_2019.pdf> . Acesso em 09 abr. 2021.

197 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page