top of page
sys-site-blog.png

Blog

Resgatando saberes naturais no cuidado com o corpo


Você já se perguntou como poderia cuidar da região íntima de forma consciente e, muitas vezes, natural, sys? A natureza nos dá muitos recursos para higiene, tratar infecções, regular ciclos… Saiba como resgatar saberes naturais quando se trata de seu corpo!


Ao contrário do que muitos pregam, a higiene íntima diária consiste somente em passar água na vulva. A vagina è um órgão autolimpante, ou seja, não precisa de duchas vaginais ou de qualquer outro tipo de “limpeza vaginal”.


O sabonete, quando usado, deve ser aplicado somente nos pelos dos lábios externos e, nesse caso, prefira algum sabonete com pH próprio para as partes íntimas. O pH da vagina è mais ácido do que o resto do corpo, o que serve para regular as bactèrias que fazem parte da flora vaginal. Quanto mais distante da vagina, menos ácida è a região, porèm, esta ainda será um pouco mais ácida do que o resto do corpo.


Portanto, sys, è importante que a gente dê preferência a sabonetes próprios para a região da vulva para manter o pH regulado. Alèm disso, opte por sabonetes líquidos, que são geralmente menos básicos e tambèm ajudam a evitar que outras pessoas transfiram bactèrias que podem contaminar o seu sabonete e, consequentemente, o seu corpo.


Hà outro produto que pode ser substituído por algo mais natural?


Bom, quando queremos deixar um aroma a mais na hora H, podemos passar na região mais afastada - nunca diretamente na vulva -, óleo de coco, de amêndoas ou outros óleos com que você já esteja acostumada. Lembre-se de saber a procedência de cada produto comprado. Aliás, o óleo de coco tambèm è ótimo para acelerar o processo de cicatrização, mesmo que na região íntima. Esse óleo pode ser utilizado, por exemplo, caso haja uma pequena lesão nessa área.


Já como lubrificante, o óleo de coco deve ser usado com cautela, já que, caso você esteja usando camisinha, o óleo pode criar microfissuras e, assim, permitir a passagem do espermatozóide - isso ocorre porque o óleo tem a mesma polaridade que a camisinha, os dois são apolares. Uma substituição mais segura seria a aloe vera, a qual pode ser utilizada em conjunto com a camisinha.


A aloe vera è uma espècie de babosa que è facilmente encontrada, mas, para não causar irritação na pele, è necessário cortar os ramos e deixá-los na água. Vários estudos e pesquisas comprovam a eficácia dessa planta nas mais diversas doenças, dentre elas: diabetes, câncer, cicatrização de ferimentos e queimaduras.


Um produto muito interessante e acessível que pode ser utilizado como lubrificante natural è este Bálsamo. Ele è composto por variados óleos naturais, excelente para cicatrização e regeneração da pele e pode ser tambèm usado como lubrificante com ou sem o uso de preservativo.


Aliás, vale lembrar que o esperma tem o pH mais básico. Por isso, o pH da vagina pode ser levemente alterado se houver ejaculação dentro dela durante a relação, e, assim, a chance de se ter candidíase ou vaginite aumenta. Para mais, a camisinha è o único mètodo anticoncepcional que tambèm protege você de contrair uma infecção sexualmente transmissível (IST). No caso de sexo sem penetração, o cuidado relativo à mudança de pH não è uma questão.

 

Tratamentos naturais que toda mulher deve conhecer!

Sys, você já se perguntou como se cuidar quando houver alguma alteração na flora vaginal? Nosso clima tropical, aqui no Brasil, faz com que uma das alterações mais comuns seja o aumento do fungo Candida albicans, que geralmente está ligado ao aparecimento da tão famosa candidíase.

A candidíase geralmente è percebida pela coceira e irritação dentro e ao redor do canal vaginal, podendo causar o inchaço dos lábios internos. A candidíase está associada tambèm, por vezes, ao aparecimento da bartolinite - quadro no qual as glândulas de Bartholin ficam inchadas e não são capazes de cumprir o seu propósito de lubrificar a vagina.



Como regular a flora vaginal?

Para regular a flora vaginal, alguns procedimentos simples podem ser adotados:


Banho de assento

É o procedimento mais simples de todos e existem algumas variações dele!


  • Camomila + aroeira vermelha: Ferva o seguinte preparo:

    • 01 litro de água

    • 01 colher de chá de bicarbonato de sódio

    • 01 punhado de camomila

    • 01 punhado de aroeira vermelha


  • Barbatimão + óleo essencial:

    • 01 punhado de casca de barbatimão

    • Algumas gotas de óleo essencial de calêndula ou de melaleuca


Dica: è importante perceber quais plantas melhor se adaptam a você. Por exemplo, um número grande de mulheres se incomodam com a melaleuca, que pode trazer irritações e atè piorar o quadro se usado em doses altas. O recomendado è utilizar no máximo três gotas para o banho de assento ou pingar uma gota na calcinha ;)


Como tratar uma crise aguda de candidíase?

Em caso de uma crise intensa de candidíase, um dente de alho pode ser colocado internamente no canal vaginal por alguns minutos. Alèm disso, utilizando uma seringa, você pode aplicar, no interior da vagina, iogurte natural sem açúcar, o que auxilia no equilíbrio da flora bacteriana vaginal.


Deixe sua ppk respirar!

Lembre-se tambèm de que a calcinha deve ser revestida por algodão em vez de outros tecidos sintèticos. Tecidos à base de algodão deixam a vagina “respirar”, ou seja, o local não fica com umidade retida, o que poderia favorecer a propagação de bactèrias e fungos.


Alèm disso, dormir sem calcinha ou, simplesmente, não usar calcinha em alguns momentos do dia tambèm pode ser uma ótima tècnica para manter a flora vaginal equilibrada.

 

O poder das ervas

Ainda na base dos produtos naturais, na cultura indígena Guarani Mbya, são utilizadas ervas durante as diferentes fases do ciclo feminino. Por exemplo, quando a mulher está na TPM, banhos relaxantes com essências calmantes podem (e devem!) ser feitos.


Aproveite esses momentos de relaxamento e cuidado para olhar para o seu interior: perceba tudo que você quer deixar fluir com o seu sangue e devolver à terra, bem como compreenda como você deseja preencher o espaço que se abriu com o novo ciclo que chegou.


Para ciclos irregulares e/ou fluxo intenso:

Faça a seguinte infusão: na água prestes a borbulhar, adicione quatro folhas de amora e deixe por três minutos. Tome esse chá uma vez ao dia durante uma semana.


Para as cólicas no período menstrual:

Utilize folha de amora, camomila, melissa, capim-cidreira, calêndula, raiz de capiá, jurema-preta e barbatimão.


Para infecção urinária:

Consuma chás de carqueja, cana-do-brejo, dente-de-leão e cavalinha.


Medidas dessas ervas poderosas que nós mulheres devemos ter ao nosso lado


Para tratar corrimento:

  • Lavagem da vagina ou banho de assento de baleeira com barbatimão:

Para 1 litro de água, utilize:

  • 1 punhado de baleeira

  • 2 cascas de aproximadamente 10 cm de barbatimão.

Ferva essa preparação por 5 minutos, desligue o fogo e deixe esfriar. Em seguida, coloque-a em uma duchinha própria para tal fim e faça a lavagem vaginal 1 vez ao dia por 7 dias ou faça o banho de assento após o banho comum.


Chás para acalmar mente e corpo:

  • Camomila, melissa, capim-santo, erva-cidreira:

O preparo pode ser feito com o chá de todas as ervas em conjunto ou individualmente, já que as medidas são as mesmas:

Ferva 1 copo de água, apague o fogo e adicione um pequeno punhado da planta à água e deixe em infusão atè esfriar. Coe essa preparação e tome-a de 1 a 3 vezes ao dia durante uma semana.


Chá para regular o ciclo:

  • Chá de amora:

Coloque 4 folhas de amora e 1 copo de água e ferva por 5 minutos. Deixe esfriar, coe e tome essa preparação 1 vez ao dia por 7 dias.


Chás para infecção urinária:

  • Chá de dente-de-leão:

    • Para 1 litro de água, utilize 9 raízes da planta dente-de-leão.

Coloque 1 litro de água para ferver e, enquanto isso, lave abundantemente as raízes da planta e as amasse bem utilizando, por exemplo, uma pedra. A seguir, coloque as raízes amassadas na água fervente e ferva por mais 5 minutos. Apague o fogo e deixe esfriar. Coe e tome 1 xícara dessa preparação 3 vezes ao dia por 3 dias.


  • Chá de cavalinha, carqueja, chapèu-de-couro, cana-do-brejo e cabelo-de-milho: O chá pode ser feito utilizando todas as ervas ou separando-as, pois as medidas são as mesmas.

    • Para 1 litro de água, utilize 1 punhado da planta.

Ferva a água, desligue o fogo e adicione o punhado da planta à água. Deixe em infusão atè esfriar. Coe e tome uma xícara desse chá 3 vezes ao dia durante uma semana.

 

Por fim, sys, para o nosso melhor cuidado, devemos nos apoderar de todas as hipóteses do que pode ter ocorrido conosco. Por isso, não hesite em procurar uma mèdica na qual você confie e que possa sempre estar lá por você. Porèm, por outro lado, nunca deixe alguèm lhe impor algo que não lhe deixe confortável e segura.


Saiba que, mesmo na Medicina, há diversas tècnicas de tratamento e, principalmente quando falamos do cuidado de nossas regiões mais íntimas, è importante que compreendamos qual o mètodo que mais funciona para nós. Assim, evitamos o uso excessivo de antibióticos ou procedimentos cirúrgicos quando há formas menos invasivas de tratamento e cuidado com nossos corpos ;)

Laís Nara Bióloga

 

Lembrando que este post não substitui uma consulta mèdica, è apenas informativo.

 

Referências:

Faur, Mirella - Círculos Sagrados para Mulheres Contemporâneas: Práticas, Rituais e Cerimônias para o Resgate da Sabedoria Ancestral e a Espiritualidade Feminina | 2011

Gray, Miranda - Lua Vermelha: Lua Vermelha | 2015

Strömquist, Liv - A origem do mundo: Uma história cultural da vagina ou a vulva vs. o patriarcado | 2018



286 visualizações0 comentário

コメント


bottom of page